Translator

FÉ E ONTOLOGIA


Cesóstre Guimarães de Oliveira
Um irmão mórmon maçom, que em sua vida eclesiástica tem desenvolvido diversos cargos de proeminência (na Igreja), me escreveu, eis sua fala:

A DÚVIDA
Caro Cesóstre,
Em primeiro lugar gostaria de expressar meu carinho e apreço pelo blog mormonsmacons, sendo eu um de seus leitores mais assíduo, me arrisco a dizer que o blog se tornou uma ferramenta de comunicação que preenche as lacunas deixadas na história do mormonismo por aqueles que a deveriam preservar. O trabalho que vem desenvolvendo talvez nunca seja completamente compreendido, mas como você mesmo disse certa vez, "a unanimidade é uma utopia".
Embora já tenhamos trocado vários e-mails, além das muitas conversas por telefone, (...) esta será a primeira vez que terei meu pensamento tornado público. E só o faço por entender que estou ajudando aos que vivem as mesmas dúvidas que eu.
(...)
Mesmo acreditando que a verdade sempre será benéfica (você disse isso em um de teus textos), pude notar no resgate que faz da história, inevitáveis efeitos colaterais, como por exemplo: minha constante luta por conservar o testemunho.
Você é sabedor de que foi a partir dos teus escritos que nasceu em mim o interesse pela Maçonaria. Inclusive, ao ser comunicado do memorável dia em que seria iniciado, depois de minha esposa, você foi a primeira pessoa com quem compartilhei esta noticia. Na ocasião, novamente te perguntei se minha fé corria risco, se existia algum conflito entre a Maçonaria e a Igreja, ao que você respondeu: "siga tranqüilo, na Maçonaria não encontrará nada além daquilo que é ensinado como verdade, pela Igreja".
Agora iniciado Maçom, nutrido pela fome de conhecimento, tenho buscado mais e mais conhecimento, e em alguns momentos esta busca tem me levado a novos horizontes, (...) mas, acredito que estes novos caminhos estão em harmonia com o texto que nos manda resgatar: (...) qualquer coisa virtuosa, amável ou louvável (...) (13º Regra de Fé), de onde quer que elas estejam.
Agora que tenho o privilegio de lapidar minha própria pedra bruta, mesmo estando sentado em lugar de pouca luz, consigo ver e ouvir atentamente a tudo, foi lá que te reconheci, quando me reconheceste. Também, foi lá que aprendi com tua ajuda o porquê de "sacrificar o Homem profano, para permitir nascer o Homem Maçom".
Ecoando em minha cabeça, são tuas palavras que me incentivam a galgar os degraus sonhados por Jacó. Agora que posso enxergar melhor, não tropeço mais. Porém (...) buscar a verdade é um desafio colossal, isto também se tornou um fardo para mim. Mas não me queixo, você havia dito (...) que algumas vezes o caminho é solitário, até que se descubra que nunca se esteve só.
Foi andando por uma estrada sem fim, que me deparei com algo que julgava saber. Agora corretamente instruído por quem viveu a história, a luz foi dada!
Já fazem alguns anos que descobrir em um apologista anti mórmon que o "Profeta Joseph Smith só restaurou os rituais da investidura dois meses após iniciado Maçom", durante muito tempo vive com a dúvida, finalmente parei de perguntar, havia cansado, sem obter uma resposta satisfatória, por que nossos manuais não falam sobre isso?
Buscando uma resposta te encontrei, e notei tua solidão na defesa de nossas crenças, já que outros autores apontam as semelhanças como prova de um possível plágio cometido pelo profeta Joseph Smith. Acusam-no de haver usado os rituais da maçonaria para estabelecer os rituais do templo. E assim..., entalado num universo de afirmações e negativas, confesso que não tenho mais certeza de quem estar certo ou errado.
Mas continuo minha jornada de Mórmon Maçom, mesmo não tendo permissão de caminhar além dos passos de um ébrio. Agora que tenho quase dois anos de iniciado, (ou seriam sete anos de vida?), descubro que aprendi muito mais sobre a investidura do templo e seu significado, após a iniciação maçônica, do que nos meus vinte e cinco anos anteriores de frequência ao templo. Hoje vivo um grande conflito, não sei se conseguirei continuar negando a acusação de que o profeta de Deus copiou e alterou os rituais da Maçonaria, lhes dando nova realidade, transformando-os nos rituais do templo (que aprendi serem sagrados).
(...)
Caro irmão, para equacionar minhas dúvidas não diga que devo procurar meus líderes, tenho feito isto há bastante tempo, se busco tua ajuda é por que eles preferem me ignorar. Várias foram minhas tentativas de dialogar, inclusive com aqueles que dividem uma designação comigo. Deles somente recebi, além do olhar de reprovação e censura, (...) "conselhos" que mais parecem ameaças, tudo que dizem é que devo ter "cuidado com a apostasia". O ultimo a quem recorri, inflado pelas boas intenções, e sem demonstrar nenhum interesse por minhas dúvidas, apenas disse: "ore com sinceridade, pergunte a Deus, e Ele aquietará teu coração". (sic) tenho feito isso mesmo antes de recorrer a eles, mas a resposta não veio.
O coração não aquietou.
- Quantas batidas serão necessárias até que alguém pergunte o que quero?
- Não sei!
(...) por esta razão recorro a você, que se achar justo, me ajude a entender o que é perfeito.
Atenciosamente,
(...)
A RESPOSTA
Querido irmão (...),
Não ouso censurá-lo por me escrever, entendo teu e-mail como fruto da providencia divina, pois tuas palavras não retratam apenas tuas dúvidas, elas somam às de vários outros irmãos que comigo compartilharam suas incertezas. Saiba que mesmo quando se sentiu só, eu estava contigo. Quando teve que descer à masmorra, eu também estava lá. Quando as espadas tilintaram, eu te defendi. Quando cruzou as águas caudalosas, nadei ao teu lado. Quando estavas cego e precisou de uma mão amiga, eu te guiei. Tuas angustias também são minhas, entendo cada uma de tuas dúvidas, sei de tua necessidade, um dia elas também foram minhas... Mas "eu venci o mundo" (João 16:33) e oro para que você também vença e não esqueça quem é.
Faça como Paulo: combata o bom combate, acabe sua carreira, e guarde a fé (II Timóteo 4:7). Se fizer assim, descobrirá que no final tudo é explicado, até mesmo o que agora parece sem explicação.
Lendo as questões que suscitou, me preocupo com risco que corre tua vida pós-mortalidade. A simples sugestão de que poderá concordar com aqueles que atribuem a condição de plagiador ao profeta Joseph Smith agride nossa inteligência religiosa.
Na defesa de tua fé, é importante que entenda que se aceitar como verdade fria, sem nenhuma análise de contexto, a possibilidade do profeta de Deus ter se apossado dos rituais maçônicos, para "criar" a cerimônia de investidura do templo, terá também que aceitar que todo o trabalho que realizamos, tanto pelos vivos, quanto pelos mortos, foi em vão. Terá que aceitar que boa parte de tua vida foi dedicada ao nada. Se esta fosse á verdade, a própria humanidade estaria em risco, pois não haveria justificativa para nossa existência.
Nem a razão, nem a fé, permitem que eu acredite que durante vinte e dois anos de minha vida estive destinado ao nada. Caro irmão, não deixe que lhe convençam que sua vida pode ser explicada como uma medíocre participação no Show de Trumam.
- Pode abrir os olhos meu irmão.
- Veja a luz!
Quem melhor do que um Mórmon Maçom para dizer ao mundo que o profeta de Deus não cometeu um plágio?
Não leste que a maçonaria durante suas heras de existência absorveu, [para guardar], o bom e o belo das religiões, tornando-se guardiã das coisas boas?
Não nego as semelhanças, se elas existem, por que devem ser citadas como plágio, já que nenhuma das partes intencionou copiar?
Eu tenho o testemunho de que Joseph Smith foi um verdadeiro profeta de Deus, e isto eu compartilho com você. As sagradas investiduras do templo não podem ser explicadas como simples plágio, apenas por que estes rituais sagrados também podem ser encontrados em outros locais.
Ao estudar a doutrina Mórmon aprendemos que a plenitude do evangelho primeiramente foi concedida a Adão, que recebeu todos os sinais, palavras e aventais a que se refere. Porém, embora, no principio, o pai Adão, e outros signatários do plano divino, tenham sido zelosos com as coisas de Deus, inevitavelmente estas coisas foram incorporadas a outros rituais. Hoje, ainda é possível encontrarmos fragmentos dos rituais sagrados que são praticados em nossos templos de adoração, distribuídos em todas as partes do mundo, e por que não dizer, até mesmo na Maçonaria.
Para completar meu raciocínio recomendo que faça a leitura do artigo intitulado "Qual a Razão dos Símbolos?" [A Liahona, Fev 2007, 14], pois nele o Presidente Gordon B. Hinckley, usando de uma liberdade conferida somente aos profetas de Deus, pergunta ao mesmo tempo em que responde: "Teria Joseph Smith reinventado o templo, reunindo novamente todos os fragmentos — judeus, ortodoxos, maçons, gnósticos, hindus, egípcios, etc.? Não, não foi assim que aconteceu. Pouquíssimos fragmentos estavam disponíveis em sua época, e o trabalho de reuni-los, como vimos, só começou na segunda metade do século XIX. Mesmo que estivessem disponíveis, aqueles míseros fragmentos não poderiam ser reunidos para formar um todo. Até hoje, os estudiosos que os coletam não sabem o que fazer com eles. (...) O fato de que algo de tamanha plenitude, coerência, engenhosidade e perfeição tenha sido trazido à luz num único local e momento — da noite para o dia, por assim dizer — é uma prova muito adequada de uma dispensação especial.".
Não creio que as investiduras sejam apenas resultado de um plágio. A explicação que apresento como justificativa para as semelhanças entre os rituais da Maçonaria e o ritual Mórmon pode ser encontrada em meu livro os "Os Mórmons e a Maçonaria – Os Construtores de Templos", e ainda, se pesquisar encontrará a afirmação que faço, onde digo que tanto a Igreja quanto a Maçonaria beberam em uma mesma fonte, as duas fraternidades habitaram a mesma morada, compartilharam o mesmo espaço, trabalharam com a mesma ferramenta, então nada mais natural que compartilhem do mesmo ritual.
Infelizmente, mais uma vez, minhas afirmações serão causadoras de novas críticas. Alguns irmãos mórmons tomarão minhas palavras na literalidade, e darão suas próprias interpretações a elas, dirão coisas que eu não disse, e a partir de suas conclusões entenderão que não precisamos mais da Maçonaria, que nada justifica um Mórmon ser iniciado Maçom, já que a verdade foi restaurada. Por isso recomendo que não ignore as lacunas deixadas pela 13º Regra de Fé quando diz que "(...) Se houver qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável, nós a procuraremos".
Embora o fonema do texto sagrado não diga que alguém deve ser iniciado Maçom, somente por que na Maçonaria existem coisas boas, os sinais gráficos enfatizam as convicções do mormonismo quando diz: "Cremos em ser honestos, verdadeiros, castos, benevolentes, virtuosos e em fazer o bem a todos os homens; (...)". Sendo assim, esta afirmação nos leva à compreensão de que tanto a Maçonaria quanto a Igreja são semeadoras de atos bons, nos permitindo ter a oportunidade de realizar todas as coisas boas, afinal é "Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho." (Ec 4.9). "E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa." (Ec 4.12).

30 comentários:

Anônimo disse...

Ao analizar os rituais do templo mórmon e os rituais feitos no âmbito da maçonaria, tem'se que entender, que no templo mórmon usa'se o mesmo método pra passar ensinos de um a outro, na maçonaria o mesmo método é usado pra que o maçom faça reflexão e ele próprio vá buscar entender por si próprio, sobre a essência das ciências e do interior de si. Essa mesma forma de passar ensinos variados sempre foi usada por muitos grupos de gentes. Os rituais mórmons tem uma função diferente da cerimônias da maçonaria. Porém, tudo tem origem em Deus, ou seja, as ciências e o cerne das ciências passadas na maçonaria e o evangelho, vem de Deus, pois Deus fez tudo isso pra nosso benefício.
Tem de se entender quais as diferentes funções e objetivos dessas duas instituiçoes, e tem de se entender que os rituais tem funções diferentes no meio da igreja e no meio da maçonaria.
Os mórmons consideram que nos templos'mórmons já tem tudo e por isso é a verdadeira maçonaria, nesse caso temos de entender que a maçonaria transmite a nano'essência das ciências e não é função dos templos'mórmons ensinar ciências, como é ensinado em escolas coletivas comuns, e o tipo de ensino que é ensinado na maçonaria, faz parte do evangelho, mas não é função dos templos'mormons ensinar esse tipo de ensinos das ciências.

Anônimo disse...

Os mórmons consideram ter o todo do conhecimento. É notório que o evangelho ou o conhecimento dos templos'mórmons, é formado por o todo do conhecimento e é formado também por todas ciências, sendo que não é função dos ensinos do evangelho ensinar verdades das ciências e nem a nano'essência das ciências como é ensinado na maçonaria. Ou seja, o evangelho é formado pelo o todo e tem o todo, e as partes desse todo que é também formada pelas ciências ensinadas nas escolas de ciências comuns e pela nano'essência das ciência ensinadas na maçonaria, são ensinadas em locais diferentes e estudam coisas diferentes, porque não é função da igreja'mórmon e nem do templo'mórmon, ensinar ciências como a matemática que são ensinadas nas escolas coletivas comuns, e nem ensinar a nano'essência das ciências que são ensinadas na maçonaria.
'
O evangelho tem o todo e os templos'mórmons tem o todo porque ensinam o evangelho, isso não significa que tudo é ensinado em um só lugar, porque matemática é uma ciência de Deus ou do Evangelho, que necessita ser ensinada separamente e a nano'essência das ciências ensinada na maçonaria só é possivel ser ensinada separamente, porque isso tem de ser ensinado com reflexão pra entender a nano'essência das ciências.
É melhor não confundir as coisas e entender que as coisas fazem parte do todo, e tem funções diferentes.

Kátia Versoza.'.

www.grandeloja.org.br

www.maconariafeminina.org.br

www.glob.org.br

Anônimo disse...

A maçonaria é anterior a construção do templo de salomão e isso pode ser conprovado, pena que os maçons que são dotados dos modos de reuniões do egito são poucos e não tem interesse em mostrar isso, mas os maçons do egito receberam seus ensinos de maçonaria de povos anteriores ou de outros povos que não tinham nada haver com o egito.

O povo PERSA exercitava maçonaria sem usar a lenda de hiram e muitos povos antigos sempre exercitou maçonaria não usando lenda de hiram.
Na visão de mórmon a maçonaria tem semelhanças com o mormonismo, mas isso dependente da formaçao maior do individuo que passa a vê tudo de acordo com sua formação maior, porque conheço budistas dizendo ter a maçonaria muita semelhanças com com antigas escolas de construtores de templos budistas, que entendem que a construção de templos budistas tem de ter conhecimentos especiais pra fazer isso, e os antigos construtores de templos budistas exercitavam maçonaria, sem ter de usar lenda hiram. Essa lenda hiram é uma criação recente...

Kátia Versoza.'.



www.grandeloja.org.br

www.maconariafeminina.org.br

www.glob.org.br

Anônimo disse...

O evangelho desenolve nosso espírito e as ciências e a nano'essência das ciências passadas na maçonaria desenolve nossa inteligência.


'

O profeta mórmon Joseph Smith quem disse... 'nenhum homem pode ser exaltado sem conhecimento', ou seja, é preciso todos desenvolver inteligência pra receber exaltação. A maçonaria é uma escola iniciática que passa a nano'essência das ciências, as ciências e sua parte nano desenvolve nossa inteligência.

Kátia Versoza.'.

Obrigada Sr. Cesostre por exercitares a liver expressão e por deixar que aqui se manifeste uma Maçona da maçonaria independente regular, genuína, legal, reconhecida e legítima de maçons e maçonas!

www.grandeloja.org.br ..........

www.maconariafeminina.org.br

www.glob.org.br

www.droit-humain.org.br/website/

www.glada.org.br

www.maconariaegipcia.com.br

www.gomp-brasil.blogspot.com

www.glosmab.com.br

www.grandelojabrasileira.org

Anônimo disse...

O Sr. Profeta Mórmon Joseph Smith, recebeu os ensinos dos templos'mórmons antes de entrar pra maçonaria.

Muitos acham que o Sr. Profeta Joseph Smith fez as cerimônias depois de entrar pra maçonaria, mas de fato o Sr. Profeta Mórmon'Maçom Joseph Smith recebeu a revelação das cerimônias dos templos'mórmons antes de entrar pra maçonaria.

O Sr. Joseph Smith entrou pra maçonaria porque aprender é um ato divino e todos precisamos aprender, porque Deus continua evoluindo e pra isso continua aprendendo todos os dias.
Deus nos manda aprender o evangelho, e como poderia Ele nos mandar aprender se Ele não exercita isso?
Deus nos manda aprender o evangelho e o evangelho é formado por todas formas de ensinamentos das ciências e isso inclui a nano'essência das ciências que tá no cerne das ciências.


Kátia Versoza.'.

www.grandeloja.org.br

Anônimo disse...

É importante entender que o Sr. Profeta Joseph Smith, não levou pra os templos'mormons o tipo de ensinos das ciências que tá dentro da maçonaria. Se tivesse levado, os mórmons entenderiam, mas os mórmons que não pertencem a maçonaria desconhecem completamente o que é preservado pela maçonaria. Por isso não se deve confundir as coisas.

Kátia Versoza.'.

www.grandeloja.org.br

Fábio templario III disse...

Ola "irmãos" e amigos leitores desta pagina. Bom meu comentario e breve e simples, precisamos desses conhecimentos e de mais, na realidade o maximo que conseguirmos; '' Qualquer principio de inteligencia que alcançarmos "nesta" vida, surgirá conosco na ressurreiçao''. D&C 130:18-19

A. R. Soares disse...

Um dia um Elder entro na minha casa e começo a me ensinar coisas sobre a igreja, lembro que ele falo sobre a grande apostasia disse que foi como um grande vidro se quebrando, varios pedaços de verdades espalhados, e varias pessoas pegaram um pouco dessa verdade e criaram duas proprias ideias suas propria religião. eu acho que a restaurção foi uma grande ação de colar esse grande vidro.

Não me assusta que Joseph Smith tenha usufruido da mesma fonte da marçonaria!

PS: desculpa se falei alguma besteira não sou nenhum estudioso so apenas um curioso!
Escrevam pra mim. email:a.r.soares@hotmail.com.br

A. R. Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Sr. A.R.Soares, o Profeta'Mórmon Joseph Smith não levou pra dentro dos templos'mormons a essência'cerne das ciências que é passada e conservada no meio da maçonaria, porque não é função dos templos'mórmons ensinar ciências e nem ensinar matematica... e etc.

A parte organizacional da maçonaria foi criada por homens, e o tipo de ensino das ciências que é ensinada na maçonaria assim como todas ciências e o evangelho, foram criadas por Deus. Tudo tem origem em Deus.

Maçonaria não é resultado de apostasia, se fosse, o Sr. Profeta Joseph Smith teria levado o tipo de ensino da maçonaria, e o Profeta é ético e não o levou.

Kátia Versoza.'.

www.grandeloja.org.br

Bension dos Anjos disse...

Cesóstre, o que vou relatar aqui, talvez nem tenha sido objeto de estudo ou ratificação dentro da literatura mórmon.
Também não vou lembrar aqui com certeza absoluta, o título do manual usado na doutrinação dos membros.
Creio que o livro chama-se História de Religião Mórmon, manual do professor.
Sei que é editado nos Estados Unidos, e aqui é traduzido.
Na contracapa do livro, há um mapa cronológico da trajetória dos mórmons, e paralelo a isso, alguns fatos que marcaram época mundo afora.
Sei que neste mapa, eles dão enfase a acontecimentos ocorridos no México, no Peru e na Argentina.
Mas não citam o Brasil. É como se o Brasil não existisse, mesmo sendo um país grande em território, e de suma importância para propagação e crescimento do evangelho, pois que eu saiba, já contamos com quatro templos.
Pois se o Brasil contribuiu para a expansão da igreja em nosso território, por que não abordar por exemplo, que naquela época, foi proclamado sua independência de Portugal?
Por que citava a Argentina e Peru, e México?
Não tenho mais acompanhado esse livro, por isso minhas indagações. Você poderia dizer se esse lapso foi corrigido?
Caso queira me responder por e-mail:
bensiondosanjos@gmail.com
Um abraço.

Bension dos Anjos disse...

Cesóstre, o que vou relatar aqui, talvez nem tenha sido objeto de estudo ou ratificação dentro da literatura mórmon.
Também não vou lembrar aqui com certeza absoluta, o título do manual usado na doutrinação dos membros.
Creio que o livro chama-se História de Religião Mórmon, manual do professor.
Sei que é editado nos Estados Unidos, e aqui é traduzido.
Na contracapa do livro, há um mapa cronológico da trajetória dos mórmons, e paralelo a isso, alguns fatos que marcaram época mundo afora.
Sei que neste mapa, eles dão ênfase a acontecimentos ocorridos no México, no Peru e na Argentina.
Mas não citam o Brasil. É como se o Brasil não existisse, mesmo sendo um país grande em território, e de suma importância para propagação e crescimento do evangelho, pois que eu saiba, já contamos com quatro templos.
Pois se o Brasil contribuiu para a expansão da igreja em nosso território, por que não abordar, por exemplo, que naquela época, foi proclamada sua independência de Portugal?
Por que citava a Argentina, Peru, e México?
Não tenho mais acompanhado esse livro, por isso minhas indagações. Você poderia dizer se esse lapso foi corrigido?
Caso queira me responder por e-mail:
bensiondosanjos@gmail.com
Um abraço.

Anônimo disse...

Já passei desta fase... E posso dizer que 100% de segurança que se HOJE tiver 10% de alguma coisa de maçonaria no templo é muito!

Um mormon maçom

Anônimo disse...

PORQUE A IGREJA MORMON NÃO RELACIONA A SUA HISTORIA COM A MAÇONARIA? NENHUM MANUAL D ESCOLA DOMINICAL CITA OS FATOS QUE REALMENTE ACONTECERAM. SERÁ MEDO DOS QUESTIONADORES?????? PORQUE A LIDERANÇA SE ESQUIVA SOBRE O ASSUNTO????

ALÉM DISSO ASSUNTOS COMO RACISMO POR EX., SE SABE NOTÓRIAMENTE QUE NADA MAIS ERAM DO QUE QUESTÃO SOCIAL E NÃO "DIVINA".

BEM COMO A POLIGAMIA DA IGREJA MORMON QUE NADA MAIS ERA PARA ACOBERTAR OS IMPULSOS SEXUAIS PRIMITVOS DE HOMENS SELVAGENS DO SEC. XVIII.

A VERDADE É NUA E CRUA E OS FATOS POR SI SÓ COMPROVAM. PERMANECER ACREDITANTO É UM DIREITO, MAS NÃO DEIXA DE SER UM DELÍRIO

Anônimo disse...

O que eu preciso fazer para me tornar um maçom?
Ser um maçom exige muito tempo?

Um mórmon de São Paulo - SP

Cesóstre Guimarães de Oliveira disse...

Para que o processo de iniciação tenha inicio é necessário que o candidato seja abordado por um Maçom, ou em segunda alternativa, se manifeste dirigindo-se a uma Loja maçônica. Pode não parecer, mas são extremamente comuns os casos em que o interessado, foi diretamente a Loja e pediu para ser iniciado.
Mas é certo dizer que todos terão que se submeter a um processo meticuloso, que dentre outras coisas incluem várias sindicâncias.
Quanto ao tempo, esta é uma questão bem relativa, por exemplo: não tendo eu a cultura japonesa, passar 5 minutos assistindo luta de sumor é uma eternidade, e também é um tempo perdido. Mas por outro lado, quando dedico duas horas de meu sábado para visitar (na companhia de vários irmãos maçons e cunhadas) pessoas que se encontram internas no Hospital do Câncer me parece ser um tempo que voa.
Qualquer um que desaconselha a Maçonaria sob alegação de falta de tempo é alguém que precisa ser reeducado e aprender o verdadeiro significado de amar o próximo. Afinal tempos tempo para assistir aos clássicos de futebol, ir ao cinema, ir à praia, shoppings, botar conversa fora no trabalho, por que não teríamos tempo para ser Maçom, ou melhor, ser um homem melhor? A Maçonaria só toma do Maçom o tempo necessário para ajudá-lo a se tornar um homem melhor, se isto é algo ruim fujam, fujam da Maçonaria.

Abraços

Anônimo disse...

Vejo muitos membros de diversas religiões faltar aos cultos ou se afastar das religiões que pertencem, porque estao fazendo algum curso... enquanto a maçonaria as reuniões são uma vez por semana, uma vez por mês ou duas vezes por mês, e se a loja usa estudos preparatórios via correio ou emails, o maçom poderá comparecer duas vezes por ano. E ainda tem gente que diz não ter tempo pra maçonaria, mas tempo pra fazer um curso que requer mais tempo ou fazem coisas que é preciso mais tempo pra fazer, e assim ficam impedidos pra frequentar os cultos religiosos.

Kátia Versoza.'.

www.grandeloja.org.br

Anônimo disse...

Irmão Cesostres, ao exercitar a fraternidade e amizade pra com todos, qualquer membro da Igreja de Jesus Cristo, poderás também visitar em Utah, a Loja Maçônica Athena jurisdicionada a Ordem Maçônica Internacional Delphi com sede na Grecia. A Ordem Maçônica Internacional Delphi, é uma potência maçônica pertencente a maçonaria oficial, independente, regular, reconhecida e legítima, para homens'maçons e mulheres'maçonas! Veja site da Loja Maçônica Athena instalada em Salt Lake City, Utah: www.lodgeathena.us ou http://www.lodgeathena.us/US/ ou http://www.delphiorder.org/

Obrigado ao proprietário deste ótimo blog, por exercitar a livre expressão e bondade, em deixar que nós da maçonaria independente regular e reconhecida, também possamos nos expressar aqui.

Eduardo Zaferniel
Sou de Goiás, atualmente morando em Utah.

Nos Estados Unidos também funciona o Grande Oriente dos Estados Unidos, que é uma potência maçônica da maçonaria regular, reconhecida, independente e legítima, onde vários mórmons também já foram iniciados e hoje são mórmons'maçons.
O Grande Oriente dos Estados Unidos, trabalha com todos os graus simbólicos e superiores do rito escocês antigo e aceito, rito de york americano e com o rito moderno.

www.gomasons.org

Cesóstre Guimarães de Oliveira disse...

Obrigado pela informação e instrução meu mano Eduardo Zaferniel.

Abraços

Anônimo disse...

Mais detalhes sobre a participação de nós mulheres na maçonaria!
Apesar da maioria dos textos só conseguir perceber que nós mulheres só pertencemos a maçonaria a partir a idade média, nós mulheres sempre participavamos da maçonaria desde o Egito Antigo e desde os povos da Mesopotâmia.

Kátia Versoza.'.
www.grandeloja.org.br


'

Leia esse artigo Ir.'. Cesostre: http://maconariafemininarj.blogspot.com.br/2011/09/mulheres-na-maconaria.html

Brigada e TFA!!!!!!!

Victor disse...

Quando os membros da Igreja que se dizem maçons, anunciam, divulgam ou ensinam sobre a
maçonaria usando sua condição de membro ou as organizações da Igreja, devemos lembrá-lo
cuidadosamente de que não devem fazê-lo. A participação em ambas as organizações podem causar divisão
na sua lealdade e compromisso ao evangelho.
Sinceramente setenta de área(2009)

Cesóstre Guimarães de Oliveira disse...

Será que entendi certo Victor?
O texto citado por você sugere que eu separe minha condição de Mórmon de qualquer coisa que eu venha a realizar, ou será que devo separar somente se o assunto for a incomoda relação da Igreja com a Maçonaria?
Será que este mesmo recado foi enviado a Moroni Torgan quando candidato a cargos políticos?
- Se, foi, não soubemos.
Talvez os maçons incomodem mais que um Deputado candidato a Governador que coleciona armas de fogo. Entendam, sou Mórmon por opção e convicção, quando converso com alguém, sobre qualquer assunto, o diálogo estará pautado nos princípios que tenho absorvido da doutrina mórmon, não importa se falo de contabilidade ou Maçonaria, os princípios éticos que prático afloram de minha concepção do que é o mormonismo.
Dizer que um mórmon maçom não pode falar sobre Maçonaria sem que esconda que é Mórmon é uma violência que se comete em nome de quem?
O texto diz: “Quando os membros da Igreja que se dizem maçons (?), anunciam, divulgam ou ensinam sobre a
maçonaria usando sua condição de membro ou as organizações da Igreja, devemos lembrá-lo cuidadosamente de que não devem fazê-lo. A participação em ambas as organizações podem causar divisão na sua lealdade e compromisso ao evangelho.
Se um alguém “se diz Maçom” é por que não é, pois o Maçom não se diz, É.
Ler o texto citado me deixa a impressão de que alguém estar sugerindo que devo negar minha condição de mórmon conforme seja o assunto a ser abordado. Me perdoem, mas, faltou tato e alguns poucos minutos de preocupação com a redação do texto, que minha fidelidade ao Senhor Jesus Cristo impede de nomear mal redigido.
Abraços

Anônimo disse...

A proibição da igreja de jesus cristo dos santos dos últimos dias para com a maçonaria ou em divulgar a ordem dos maçons e maçonas em qualquer lugar, não tem nenhuma valor e nem validade, porque impede à aquisição de conhecimento e evolução intelectual, pois é comum os membros da igreja conversar sobre ciências e estimular o ato de estudar em uma faculdade, e a maçonaria é igualmente uma escola educacional que ensina a nano'essência dessas mesmas ciências ensinadas nas faculdades. É muito clara na doutrina'mórmon que devemos evoluir espiritualmente e o intelecto, por isso nenhuma proibição não terá nenhuma validade perante Deus, porque foi Deus que criou tudo, e criou tudo o que tá na igreja, nas faculdades e dentro da maçonaria.

Kátia Versoza.'.

www.grandeloja.org.br

www.maconariafeminina.org.br

Anônimo disse...

O comentário do sr Vitor é parte da carta da Pres da Area do Brasil em 2009......me parece q a intenção era cuidar p q não houvesse apologia á Ordem nas Estacas do Brasil.....mas como diz a doutrina da Igreja,nenhuma escritura é de particular interpretação,e também na última conferencia geral(abril 2012)um dos Apóstolos disse q "Uma declaração dada por um líder da Igreja uma única vez,não pode ser tomada como oficial da Igreja." TFA.

Gelson disse...

Caro Cesóstre,
Congratulações por eu blog.
Nunca entendi porque tamanha preocupação e confusão em um SUD ser maçon. Me tornei membro da igreja SUD em Ago/1977 em Guarulhos. Um de nossos membros da época era maçon. Ele sempre comentava sobre seus trabalhos na loja maçonica e nós se quer o despezavamos, mas sim aprendiamos com ele sobre a veradeira caridade. Pouco depois fui para a missão e depois migrei para Goiás. Aqui também encontrei o distanciamento dos membros SUD em relação a maçonaria. Coisa boba essa.
Em relação as ordenança no templo e os simbolos maçons, não sei para que tanta especulação. Acreditar que um homem ficou na barriga de um peixe por três dias e depois foi vomitado vivo na praia para depois pregar a um povo que se arrependeu é muito mais difícil. Acho que não tem ciência que esplique isso. Sem contar outras mazelas que temos na história da religião.
Nunca fui convidado para ser maçon, embora tive um conselheiro de bispado que é maçon. Se um dia tiver interesse, com certeza baterei na porta de alguma loja e pedir para ser iniciado.
As muitas pessoas se preocupam em conhecer os mistérios quando se quer aprendenram e/ou conseguem viver as coisas mais simples primeiro.
Praticar a caridade, que é o puro amor de Cristo é muito mais difícil que críticar ou buscar mistérios.
Que bom que os veradeiros maçons buscam praticar a caridade, eu os apoio nisso.
Minhas saudações,
Gelson N. Dias

Anônimo disse...

Sr. Gelson,

No âmbito da maçonaria existe a maçonaria masculina regular, reconhecida e autêntica, onde só se entrar com convite feito pessoalmente por outro maçom www.gob.org.br , e existe a maçonaria independente'regular, reconhecida e autêntica para maçons e maçonas, onde vós pode pedir para entrar pedindo via emails ou telefone ou por convite, mas em todo o caso vós passará por sindicância, www.grandeloja.org.br .


Eduardo Zaferniel.'.

Anônimo disse...

Meus amados irmãos, gostaria de expressar meus sentimentos com relação a ser mormon maçom,tenho hoje um carinho enorme pelo mormonismo e um amor incondicional pela maçonaria, ambos me ensinaram o amor fraternal, isso é a verdade,a verdade esta em cada um de nós baseado nos nossos atos e no que plantamos.Maçonaria é trabalho é construir um proximo diferente, um ser melhor para a sociedade a maçonaria é um grito de liberdade aos que se acham presos nos ditames das leis imposta pelos homens, eu amo fazer maçonaria e adoro servir como um mormon.Segue aqui meu irmão um T.F.A. do seu irmão.

Jorge Linhaça disse...

Caros irmãos e amigos.
Muito ilustrativo este blog e as coisas aqui postadas.
Filie-me à Igreja de Jesus cristo dos Santos dos Últimos Dias no dia 16 de abril de 1978.
Servi como missionário e frequentei o templo regularmente enquanto pude.
Fui convidado para a maçonaria por duas vezes, uma em Avaré-SP e outra em Porto Alegre-RS, infelizmente em ambas as vezes mudei de cidade logo a seguir e o convite perdeu-se por falta de contato.
Sinceramente não entendo essa controvérsia entre mormonismo e maçonaria afinal muitos ilustres mórmosn já foram maçons. Anos atrás é que veio uma carta da primeira presidência sugerindo que se optasse por um ou por outro.
Outrossim devo acentuar que a Igreja que conheci hoje é bem diferente, talvez por falhas dos membros e líderem em ensinar a prática e não apenas a teoria do evangelho. Perde-se muito com isso, de teóricos o mundo anda cheio, faltam são os praticantes.
Se a maçonaria parte para ações práticas então acho bastante próprio que mórmons maçons se complementem.
Abraços fraternos
Jorge Linhaça
anjo.loyro@gmail.com

Jorge Linhaça disse...

Esta celeuma é interessante mas não vejo, pessoalmente, ao menos de momento, nenhum problema em ser mormon e maçon, claro que muitos discordam disso.
Filiei-me ao mormonismo em 1978 e meu testemunho continua vivo sobre o evangelho, embora a igreja que vejo hoje esteja muito aquém da de meu tempo. Talvez a falta de tempo dos líderes, sempre ocupados com suas vidas pessoais em épocas de busca de estabilidade financeira e pessoal explique a falta de atividades em muitas unidades.
Essa mesma falta de atividades impede a prática do que se aprende aos domingos. O evangelho não é apenas teórico, deve ser praticado.
Fui cponvidado duas vezes para a maçonaria mas como estava de mudança de cidade nas duas ocasiões acabei perdendo a oportunidade.Senão seria maçon sim, sem problemas.

Anônimo disse...

É errado as lideranças mórmons ensinar que os mórmons devem optar entre maçonaria ou mormonismo, porque a verdade não exclue uma verdade, e sim a verdade inclui todas verdades. Um professor nao deve optar entre maçonaria e a profissão de professor, ele deve continuar sendo mórmon e também professor, porque se um líder mórmon ensinar que os mórmons devem decidir entre maçonaria e mormonismo, estará indo contra o evangelho, pois o evangelho é formado por todas formas de verdades. Ser maçom ou maçona, não é colocar a maçonaria acima das coisas de Deus, é continuar colocando as coisas de Deus sempre acima e ao mesmo tempo continuar estudando a nano'essência das ciências e também o evangelho, e em nenhuma parte do evangelho não ensina que devamos deixar de frequentar as escolas para nos aperfeiçoar.

Kátia Versoza.'.

www.grandeloja.org.br