Translator

MÓRMONS MAÇONS, DE VOLTA A HISTÓRIA

by Cesóstre Guimarães de Oliveira
cesostre@hotmail.com
      Embora em vários momentos eu já tenha esclarecido que o Profeta Joseph Smith Junior e vários outros líderes da Igreja foram iniciados na sublime ordem maçônica, e que nenhum conflito doutrinário ou teológico existe entre a Maçonaria e o cristianismo, ainda existem aqueles que insistem em me perguntar se este acontecimento verdadeiramente ocorreu. Normalmente quando me perguntam, tenho a impressão de que a pessoa que questiona supõe existir algo de secreto ou sinistro nesta relação. Por isto, mesmo já tendo esclarecido por diversas vezes, volto a repetir: “Não existe nenhum impedimento doutrinário teológico ao ingresso de um cristão na Maçonaria”, talvez o único impedimento existente, se não o maior, seja o preconceito maldoso implantado quase que de forma cirúrgica na mente dos incautos, dos desprovidos de coerência e bom senso. As vitimas preferidas dos maldosos, dos defensores da causa própria, estão por todos os lugares. De forma surpreendente tenho visto se multiplicar os sites que combatem a Igreja e a Maçonaria, sites que se utilizam desta relação para atacar o evangelho restaurado.
      Mas, o maior desconforto causado a mim no que concerne esta relação vem de meus irmãos mórmons, principalmente daqueles que negam um fato histórico que é a presença dos primeiros cinco presidentes da Igreja na Maçonaria, estes meus irmãos de fé, parecem esquecer, (ou quem sabe, ignoram por completo), que nossos precursores ao construírem a cidade de Nauvoo, além de construir um Templo, também construíram uma loja maçônica. Ambos os prédios tiveram que ser abandonados quando da grande migração para Utah, e somente em 24 de outubro de 1999 tiveram sua restauração e reconstrução anunciadas pelo Presidente Gordon Bitney Hinckley. Hoje estes monumentos se apresentam ao mundo como prova da dedicação, lealdade e fé, da nação Mórmon. Estas três virtudes tem se tornado em marca indelével de nossas convicções.
      A lealdade dos pioneiros mórmons à Maçonaria estar estampada nas fachadas dos prédios de Nauvoo e Salt Lake City, embora isto seja desconcertante para alguns irmãos mórmons, para mim é gratificante, pois quem dentre os pesquisadores do assunto nunca leu sobre a iniciação maçônica de Joseph Smith Junior, e o que isto representa para nossa história. Eu mesmo já tenho escrito sobre este tema várias vezes.
      Os contrários a Igreja tem tentado, através de falsos e frágeis argumentos provar que Joseph valeu-se única e exclusivamente do ritual maçônico na elaboração dos sagrados rituais do Templo. Embora eu não esteja inclinado a aceitar por completo esta teoria, entendo que a possibilidade existe, e se isto ocorreu, deve-se ao forte impacto que a Maçonaria causou no Profeta após sua iniciação, ao ser iniciado Maçom Joseph notou que algo valioso se escondia, de forma não intencional, por trás dos rituais maçônicos. Este talvez tenha sido um dos motivos que o levou a inquirir o Senhor sobre as origens e validades destes antigos rituais. Partindo deste pressuposto, entendo que valendo-se do conhecimento guardado milenarmente na Maçonaria, Joseph passou a ter um princípio de entendimento do que deveria ser restaurado ou até mesmo estabelecido nos rituais sagrados do Templo. Se esta for a conjectura apresentada pelos combatentes do mormonismo, estou pronto a aceitar que o Profeta Joseph tenha recebido alguma influência da Maçonaria, caso contrário, se os inquisidores pregarem um simples e seco plágio, tomamos rumos diferentes na assimilação destas coisas.
      Por um momento, digamos que eu aceite as insinuações maldosas dos anti-mórmons e aceite a possibilidade de que Joseph tenha feito uma copia simples e seca da Maçonaria na elaboração dos rituais do Templo, teria que acreditar também, que sem dúvidas, ele escolheu o lugar, a hora e as pessoas erradas para realizar um plágio, pois qualquer leigo sabe que muitos dos líderes da Igreja e demais membros, naquele momento, estavam fortemente envolvidos com a Maçonaria, se Joseph estivesse agindo como um cínico plagiador, os mórmons maçons veriam isto e o teriam desmascarado como Profeta. Quando estudamos a história da Igreja aprendemos que os pioneiros eram homens comprometidos com sua fé, eram pessoas que conviviam com Joseph em uma profunda relação de amizade, estes amigos leais eram também pessoas dispostas a seguir ás ordens de um líder chamado por Deus, e que acima de tudo colocavam o chamado deste líder em um degrau superior até mesmo a amizade, eram homens que mesmo tendo profundo carinho pelo Profeta, não tolerariam o menor sinal de apostasia doutrinária. Como prova desta dedicação ao evangelho restaurado, eles estavam dispostos a sacrificar o melhor de si na construção de um templo onde todos os Santos dos Últimos Dias fiéis teriam o privilégio de participar de ordenanças sagradas, eles não tolerariam qualquer deslize doutrinário, mesmo que este deslize fosse cometido por um profeta de Deus, a simples idéia de que Joseph estivesse a copiar rituais da Maçonaria com os quais estavam intimamente familiarizados seria rechaçado imediatamente.
      O simples pensamento de que a fé, a coragem e a dedicação, elementos tão comuns aos pioneiros mórmons, foram alicerçados em rituais copiados da Maçonaria é uma idéia que pode lançar o homem no mar da desesperança, é uma ofensa a deidade. Se em algum momento da nossa jornada de fé cedermos as investidas daqueles que ferozmente combatem o Evangelho Restaurado, se concordarmos com eles, se aceitarmos que os rituais do Templo são cópias grosseiras dos rituais praticados na Maçonaria, o que restará a humanidade? O que sobrará para os filhos de Deus? Para quem iremos nós (João 6:68)?
      As experiências e os sentimentos que temos compartilhado no templo são demasiadamente reais para que alguém, mesmo que por um segundo, suponha que os sagrados rituais dos quais temos participados sejam frutos de uma cerimônia copiada da Maçonaria... Eu sei disso!

6 comentários: