Translator

O CRISTÃO MAÇOM

by Cesóstre Guimarães de Oliveira
cesostre@hotmail.com



“Combati o bom combate, terminei a carreira, guardei a fé... (II Timóteo 4:7).” Este texto bíblico traduz os sentimentos do Apóstolo Paulo de Tarso em relação à fé cristã, e embora o texto seja claro ao descrever suas crenças, se não compreendido, conduz o leitor a uma inevitável apatia, mas se adequadamente entendido revela a história passada, presente, e futura, dos cristãos.
O ser humano por natureza e origem é religioso, e por ser, sempre esteve em busca do criador de todas as coisas. Esta é uma discussão da qual a maçonaria não pode nem deve ficar à margem. Neste artigo estarei abordando de forma genérica a relação existente entre os cristãos e a Maçonaria, antes, porém, faço saber que existe uma tendência (que considero preocupante) “aninhando-se” no seio da Maçonaria: é a perda da Fé cristã por parte de alguns irmãos maçons, atribuo a este distanciamento da fé, a busca por novos rumos religiosos, busca esta provocada pela intolerância e o preconceito, que muitas das vezes se traduz em verdadeira caça às bruxas, semelhante aos acontecimentos ocorridos no vilarejo de Salem, (colônia americana da Nova Inglaterra). Esta ação irracional tem conduzido muitos a ingressarem naquilo que acreditam ser uma realidade mais tolerante e menos preconceituosa.
A história é enfática ao registrar que dentre as religiões existentes, nenhuma estar tão intrinsecamente ligada a Maçonaria, e ao mesmo tempo tão radicalmente distanciada quanto o cristianismo, temos ouvido os discursos de alguns representantes dos vários seguimentos cristãos que tentam delinear a Maçonaria como inimiga da religião, este posicionamento contraditório se traduz em uma retórica vazia que tem como principal objetivo manter cativos na ignorância medieval os herdeiros do medo e dos conceitos pré-formados. Não se pode ignorar a história, os fatos apontam a Maçonaria como benfeitora da humanidade, amiga e protetora das religiões. Por isso não compreendo por que somos os alvos preferidos dos ataques de líderes cristãos, sejam eles, católicos, protestantes, ou outros seguimentos deste universo religioso tão diversificado. Talvez este posicionamento iconoclasta assumido pelos caçadores de maçons, explique o porquê de tantos entre nós, desiludidos com a fé cristã, cansados das intolerantes e incompreensíveis criticas têm migrado para outros seguimentos religiosos. Estes, ao procederem assim, esperam com essa ação escapar desta “Guerra Santa” que por sua agressividade com requintes de crueldades lembra os inquisidores espanhóis da Idade Média.
Ao ingressar na Maçonaria, embora todos recebam tratamento igualitário, infelizmente, nem todos atingem o mesmo nível de compreensão e esclarecimento, para estes que pouco, ou nada aprenderam, é bem mais confortável desistir da Maçonaria a ter que enfrentar as sanções ou retaliações que lhes serão infligidas pelos líderes e membros comuns das igrejas cristãs, ou até mesmo dos membros de suas famílias que contestam sua participação na milenar fraternidade. Um adágio popular diz: "Você é o que acredita ser." Eu sou um Mórmon Maçom, e acredito estar trabalhando minha pedra bruta da ignorância, lapidando-a até estar definitivamente polida quando então refletirá o conhecimento que tenho adquirido na milenar fraternidade.
Nós maçons estamos nos locais mais inusitados, ocupamos cargos nos altos cleros de vários seguimentos religiosos, estamos nos senados, nas câmaras federais, estaduais e municipais, também estamos nos poderes executivos, e judiciários, somos seus vizinhos, seus amigos, estudamos nas mesmas universidades, freqüentamos os mesmos eventos sociais, temos participado decisivamente das decisões que afetam a todos, a história diz isto, nossos endereços são conhecidos de todos, nossos rituais e estatutos estão registrados nos órgãos competentes, e mesmo assim, alguns nos acusam de sermos uma sociedade secreta, por isso, somos ignorados e rejeitados por vós.
Mais saiba que agindo de forma silenciosa, nunca passivos, estamos a zelar por sua fé, por sua segurança, por seus direitos políticos, sociais e religiosos, e mesmo assim, somos rejeitados por seus líderes que nada sabem sobre nós, pessoas que tem seu conhecimento alicerçado nos labirintos de uma mente esquizofrênica que vê na Maçonaria uma organização secreta e maligna que planeja dominar o mundo e conduzir as almas dos cristãos a um inferno que só existe em suas mentes desvirtuadas. É neste caos ideológico e teológico que somos descritos como inimigos da deidade, eles esquecem que fomos nós, os primeiros, e talvez os únicos a universalizar o Grande Arquiteto do Universo, que é Deus. Fomos nós quem primeiro extirpou toda forma de sectarismo religioso, com o objetivo de proteger os vários seguimentos da religião, em nossas reuniões não questionamos o credo de cada um, a nós importa somente a crença na deidade, a quem genericamente, como forma de respeito à fé individual e ao livre arbítrio de cada um denominamos Grande Arquiteto do Universo. Afinal foi ele o idealizador e criador de tudo.
Infelizmente até mesmo dentro de meu seguimento religioso (mormonismo) existem aqueles (que são ilhas isoladas) contrários a Maçonaria, mas isto não significa que A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias compartilhe deste mesmo pensamento, (na verdade os que assim pensam, o fazem usando de sua liberdade de pensamento, são homens e mulheres que desconhecem a história, pessoas limitadas a uma ou duas linhas de conhecimento, ou talvez, contaminados pela linha de pensamento protestante). Tenho escrito vários artigos abordando este tema, meu objetivo tem sido um só, mostrar que é absolutamente possível compatibilizar a Maçonaria com a fé cristã. Entendo que o grupo dos opositores à Maçonaria é formado por pensadores prisioneiros da ignorância, homens implacáveis, que de forma intolerante e preconceituosa vão disseminando seus pensamentos de forma erosiva, criando fendas na consciência dos inseguros, fendas estas que lembram as crateras lunares que também muito se assemelham ao 1Grand Canyon.
Qualquer um que rebuscar na internet facilmente encontrará vários "especialistas em Maçonaria" que tentam explicá-la, inclusive estes especialistas alegam ser seus objetivos esclarecer aos cristãos que estão sendo “enganados na Maçonaria”, eles costumam dizer: “Temos todas as respostas para livrá-los do mal oculto por trás da Maçonaria”, existem ainda os mais afoitos que alegam: “Somente os altos graus sabem realmente o que ela é, e que por estarem já envolvidos demais com o mal não conseguem se libertar”, ao afirmarem isto estes “falsos especialistas” deveriam antes explicar como sabem destas coisas, já que segundo eles “somente os altos graus sabem o que é a Maçonaria e que por estarem já envolvidos demais com o mal não conseguem se libertar”, como então alguém que nem iniciado foi pode saber? Esses plantadores do medo nos acusam de formarmos alianças com Satanás, e de envolvimentos com o ocultismo, agindo assim, tencionam impor medo e minar a fé dos cristãos que se atrevem ingressar na Maçonaria, lógico que estas alegações não passam de falácias.
Admito que a Maçonaria não tenha nenhuma religião acima de outra, mas isto antes de ser entendido como algo maléfico, deverá ser tratado como benéfico, já que no contexto maçônico não existe a preocupação, (tão comum ao protestantismo), de provar qual religião estar certa ou errada, nós maçons deixamos as discussões teológicas a encargo dos profissionais da fé, não nos envolvemos nestes debates estéreis que somente conduzem irmãos à dissidência e à discórdia. Mas isto não nos impede de em respeito á predominância religiosa do país onde nos encontramos manter sobre o altar dos juramentos um volume dos escritos sagrados para a religião, nos países de predominância cristã a Bíblia tem seu espaço reservado, porém pode ser substituída pelo livro sagrado que representa a religião do pretenso iniciando sempre que assim se fizer necessário. Especificamente em meu caso, quando de minha iniciação estavam presentes tanto a Bíblia quando o Livro de Mórmon. Ao assumir meus compromissos maçônicos, fiz e ratifico invocando a autoridade divina contida em minha religião. Entendo que um Mórmon ou qualquer que seja o seguimento religioso, ao iniciar na Maçonaria não terá nenhum conflito de fé, pelo contrário, terá oportunidade de fortalecê-la. Além disso, ao ingressar na Maçonaria posso ser um exemplo aos irmãos que não compartilham de minha fé em Cristo, no contexto maçônico eu serei um exemplo de Sua vida e ensinamentos.
Independente de qual seja a religião do iniciado, na Maçonaria estamos cercados de bons exemplos, homens devotados e fiéis as doutrinas preconizadas por A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, pessoas que embora não sejam filiadas a minha religião, são indivíduos comprometidos com a honestidade, caridade e amor fraternal. Lógico que existem as exceções, mais exceção não é uma característica exclusiva da Maçonaria, afinal quem nunca ouviu falar do mau político, do mal cristão, do mal budista, etc. As exceções existem, e estão em todos os lugares.
Penso que a antipatia (será medo?) que alguns religiosos nutrem pela Maçonaria, está ligada à nossos rituais sigilosos, os leigos não compreendem que ao fazer uso do ritual maçônico um cristão o utiliza também para ilustrar as ricas verdades contidas no evangelho de Jesus Cristo. Os sinais são utilizados para que possamos expressar nossas idéias e torná-las mais fáceis de serem lembradas. Não sei precisar quando a Maçonaria adotou determinados sinais, na verdade existe certo nível de unanimidade que afirma ninguém saber até mesmo quem foi o primeiro maçom, mas seja ele quem tenha sido, criou um elaborado sistema para expressar essas verdades através das imagens de ferramentas comuns aos pedreiros.
Mais nem todos os cristãos são inimigos da Maçonaria, como falei antes, as exceções existem, e são muitas. Alguns cristãos alcançaram verdadeiro destaque no universo maçônico, entre estes cito 2Norman Vincent Peale, um cristão maçom grau 33, ele é o criador da “Revista Diretrizes”, e autor do livro “O Poder do pensamento positivo”. É dele a citação: "Embora não seja uma religião, a maçonaria completa nossa fé em Deus e é ponto de apoio da moralidade e virtude”. A Maçonaria não têm dogmas teológicos, não têm rituais sacramentais, esta é uma característica das religiões, mas ensina que é importante ter uma religião que seja de sua livre escolha, e ao escolher sua religião o individuo deverá ser fiel a ela em pensamentos e ações.
Na convivência diária que tenho com vários cristãos maçons pude notar que ao ser iniciado o cristão se torna mais fiel aos princípios de sua fé. Sabendo de tudo isto, não consigo compreender a razão de tanta animosidade contra a Maçonaria. O estigma, a perseguição insana, a calunia tem sido uma característica da luta deflagrada pelos cristãos contrários a Maçonaria.
As criticas das quais somos vitimas são freqüentes e irresponsáveis, não entendo por que a adesão de um cristão a uma organização que tem profundas raízes no cristianismo é tão contestada. Talvez o medo de ter seus segredos religiosos expostos pela maçonaria, que é uma fonte de conhecimento, seja a causa da insegurança de alguns.

APENDICE

1 O Grand Canyon é uma imensa falha no terreno, medindo 440 quilômetros de comprimento, quase dois quilômetros de profundidade e com largura variando de 200 metros a 27 quilômetros. É considerado como uma das maiores maravilhas da natureza. O responsável por esta obra de arte foi o rio Colorado, que ao longo dos séculos abriu caminho a força por entre aquelas rochas, moldando a pedra e criando um fantástico zig-zag de corredeiras de água entre paredões verticais de rocha avermelhada.

2 Pastor protestante que alcançou a fama mundial a partir de 1937, quando publicou A Arte de Viver (The Art of Living) que, ao lado de outras 45 publicações de sua autoria, vendeu 20 milhões de exemplares em 41 países onde foram traduzidos. Em 1956, era lançado no Brasil o primeiro livro de auto-ajuda, O Poder do Pensamento Positivo (The Power of Positive Thinking), atraindo uma legião de adeptos e vendendo 450 mil exemplares. Nos EUA, permaneceu 90 semanas na lista dos mais vendidos, ganhando popularidade especialmente entre homens de negócios.


2 comentários: