Translator

SER MAÇOM, EM QUE ISTO ME AJUDARÁ?

by Cesóstre Guimarães de Oliveira
cesostre@hotmail.com

Ser Maçom, em que isto me ajudará a ser (1) exaltado? Embora esta possa parecer uma pergunta inocente e desprovida de malícia, ela tem sido usada por apologistas mórmons que são contrários a filiação dos membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias à Maçonaria, a intenção é mostrar que não existem justificativas para a permanência ou ingresso de um Mórmon na Maçonaria. Ao levantar este questionamento, homens e mulheres transbordantes de “boas intenções” tentam induzir o interrogado a uma reflexão, que tenha como conclusão a certeza de que nadam de bom ou aceitável, um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias encontrará na milenar fraternidade. Aqueles que assim procedem, demonstram seu total desconhecimento de fatos históricos relevantes à cronologia Mórmon, se conhecem estes fatos, agem nutridos pela incoerência ao sugerir que nada de “bom ou louvável” existe na Maçonaria, afinal, como explicar que Joseph Smith tenha ingressado na Maçonaria?
Se a Maçonaria não é uma organização que de alguma forma ratifique nossa fé, pergunto: o que um profeta de Deus, que estava a conduzir o trabalho de restauração do evangelho veio fazer entre nós maçons? Por que Deus o permitiu? E mais, porque Deus aceitou passivamente que seu profeta agindo de forma deliberada, e claramente intencional, conduzisse tantos outros irmãos mórmons a Maçonaria? A resposta resume se a uma explicação palpável que é ratificada pela (2)13ª Regra de Fé quando assim diz: “Cremos em ser honestos, verdadeiros, castos, benevolentes, virtuosos e em fazer o bem a todos os homens; na realidade, podemos dizer que seguimos a admoestação de Paulo: Cremos em todas as coisas, confiamos em todas as coisas, suportamos muitas coisas e esperamos ter a capacidade de tudo suportar. Se houver qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável, nós a procuraremos”. Um Maçom, mesmo não sendo Mórmon, ao ler esta Regra de Fé notará a clara e precisa descrição dos objetivos contidos na Maçonaria. Do mesmo modo um pesquisador, por mais desatento que seja, notará a sintonia existente entre esta Regra de Fé e um dos (3) Landmarks, estas que são as mais antigas leis maçônicas, dentre os quais destaco o que diz: “A Maçonaria impõe a todos os seus membros o respeito das opiniões e crenças de cada um...”
Desconheço qualquer outra entidade religiosa, ou não, além de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e a Maçonaria que preconize de forma tão enfática o direito a liberdade de expressão religiosa. Sendo eu um Mórmon Maçom, com freqüência sou conduzido a profundas reflexões quando me deparo com os acontecimentos registrados em nossa história, esta reflexão me torna consciente da necessidade de perdoar meus irmãos mórmons por sua ignorância quanto a estes fatos históricos, mesmo que este estado de cegueira seja intencional. Fico triste ao notar pessoas que comigo compartilham da mesma fé, voluntariamente voltando seus olhares para o sol da fé, completamente desprovidos da análise lúcida dos contextos históricos, não é raro encontrar membros da Igreja que desconhecem por completo a simetria do paralelismo existente entre Maçonaria e Mormonismo, pessoas que preferem a ignorância sob a alegação de que saber estas coisas, em nada ajudará na sua exaltação, mas, estas mesmas pessoas me surpreendem ao demonstrarem inflamadas paixões por equipes esportivas, (principalmente futebol), não entendo a relevância contida nestes sentimentos, não vejo onde ou como despender parte de nosso ganho ou tempo com estas atividades venha nos ajudar a ser exaltado, mesmo assim, alguns são tricolores, rubro-negros, alvinegros, etc. Ainda tratando do paralelismo existente entre mormonismo e maçonaria Mervin B. Hogan em sua obra intitulada Mormonism and Freemasonry: The Illinois Episode, diz: “(4) A filosofia e os grandes princípios da Maçonaria não são incompatíveis com o ensino, a teologia, e doutrinas dos Santos dos Últimos Dias. Ambas enfatizam moralidade, sacrifício, consagração, e serviço, e ambas condenam egoísmo, pecado e cobiça”.
Aos que parecem desconhecer, ou ter esquecido, faço saber, e lembro que o Profeta (5) Joseph Smith foi iniciado Maçom em 15 de março de 1842, portanto, 22 anos após ter visto a Deus e Jesus Cristo, é incoerente, e ironicamente absurdo tentar questionar os preceitos maçônicos quanto a sua importância no plano divino. Questionar aquilo que de bom existe na Maçonaria, é por em “(6) xeque-mate” as decisões de um Profeta de Deus, afinal, em que parte do plano divino se poderá encaixar a Maçonaria, que não seja no grupo dos detentores de “qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável? É impossível ignorar a intima relação dos mórmons pioneiros com a Maçonaria, esta relação existiu, e é uma página que não pode ser apagada do diário da Igreja. Como poderia Joseph Smith estar certo no passado ao ingressar na Maçonaria, e nós, Mórmons Maçons do presente estar errados quando trilhamos o mesmo caminho que por ele foi aberto? Quem mudou sua maneira de pensar, a Igreja ou a Maçonaria? Ou será que temos deixado os preceitos medievais estabelecidos por (7) Felipe o Belo, e (8) Clemente V contaminar nossa visão da sã doutrina?
O pensamento que aponta a Maçonaria como contrária a nossa teologia, lança todos os mórmons em um estado de letargia onde nos sonhos do letárgico aquele que se filiar a Maçonaria aparece como inimigo de Deus. É doutrina Mórmon reconhecer que “(9) Joseph Smith o Profeta e Vidente do Senhor, com exceção apenas de Jesus Cristo, fez mais pela salvação dos homens neste mundo do que qualquer outro homem que jamais viveu nele”, (esta afirmação foi feita pelo Élder John Taylor, do Conselho dos Doze Apóstolos, que estava com Joseph no momento de seu martírio), eu aceito isto como verdade. (10) John Taylor que também era Maçom tinha pleno conhecimento da intima ligação do Profeta com a Maçonaria, sua afirmação é clara demonstração de que somente bons preceitos existem na Maçonaria, afinal ela acolheu o profeta de Deus. Se a decisão de ingressar na Maçonaria foi um equivoco cometido por Joseph Smith, pergunto a meus irmãos que são contrários a nossa ligação com a Maçonaria: Como poderia Deus ter permitido que um profeta seu ingressasse na Maçonaria se isto fosse atrapalhar seu progresso espiritual? Será que se Joseph ainda estivesse entre nós, nossos implacáveis e irônicos interlocutores o perguntariam, “em que ser Maçom nos ajudará a ser exaltado?”
Ao ser questionado sobre uma possível dualidade religiosa (que não existe) e acusado de pertencer a uma organização que nada acrescentará a minha exaltação, fico decepcionado com os homens cultos e inteligentes da Igreja que abusam da frivolidade, e sem argumentos doutrinários eficazes se deixam ser envolvidos pelas crenças pagãs medievais que rotularam e rotulam a Maçonaria como algo nocivo, que nada acrescenta em benefícios a humanidade.
Como podem meus irmãos Mórmons que discordam de nossa filiação a Maçonaria, sequer, sugerir que a milenar fraternidade não tenha nenhuma relação com nosso aperfeiçoamento? Esquecem dos homens de imensuráveis importâncias para o evangelho restaurado que cá estiveram, e ainda estão? Um bom exemplo é o Mórmon Maçom (11) Glen Cook que aproximadamente ha um ano foi escolhido para ser Grão Mestre da Grande Loja de Utah, ele é o primeiro membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias a ser escolhido para este cargo na alta hierarquia maçônica em quase um século de existência da Grande Loja de Utah, em uma entrevista concedida logo após sua posse, falando dos mórmons ele disse: “(12) A Maçonaria deve ser um complemento a fé, e não uma barreira a seu exercício”.
Validando o que tenho dito, resgato junto à história nomes de grandes relevâncias tanto para a maçonaria quanto o mormonismo, nomes como: (13) Joseph Smith, (14) Brigham Young, (15) Heber C. Kimball, (16) Parley P. Pratt, (17) Hyrum Smith, (18) Newel K. Whitney. Estes com certeza foram algumas das inteligências nobres e grandes vistas por Abraão - (Abraão 3:22, 23).
Ainda temos muito que aprender com a história. Acreditando ou não, que nossos líderes são exemplos a serem seguidos, mesmo quando iniciados na Maçonaria, esta é uma verdade que teremos que conviver pacificamente. Não se pode apagar o escrito nas tábuas do tempo, mesmo que pareça “uma verdade inconveniente e desconfortável”. Os mórmons maçons existem, este é um fato irrefutável... Estamos nos templos, nos escritórios da Igreja, nos bispados, nas presidências de estacas, nas missões... Na praça do templo. É irônico que alguns de nós se penitenciem ao ostracismo temendo represálias por parte daqueles que deveriam nos proteger. Criticado e contestado pelo que escrevo, encerro citando o Maçom prêmio Nobel da Paz, Martin Luther King: “... O que mais preocupa é o silêncio dos bons".


APÊNDICE


(1) Exaltado – Na teologia Mórmon significa ser conduzido ao mais elevado estado de felicidade e glória dentro do reino celestial... Tornar-se igual a Deus (GEE pág. 82). Para um Maçom significa (de forma sucinta) sair do Grau de Companheiro para o de Mestre Maçom. Nenhuma semelhança existe entre os contextos mórmons e maçons ao fazer uso desta expressão.

(2) Regras de Fé - Perguntaram a Joseph Smith quais eram as crenças básicas da Igreja. Ele resumiu os ensinamentos e doutrinas em 13 pontos básicos que são conhecidos como as Regras de Fé d'A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

(3) Landimarks – Os Landmarks são (leis imutáveis) considerados as mais antigas leis que regem a Maçonaria universal.

(4) Mormonism and Freemasonry: The Illinois Episode - Mervin B. Hogan, Vol III.

(5) Joseph Smith nasceu em 23 de dezembro de 1805, em Sharon, Vermont. Faleceu em 27 de junho de 1844 em Carthage, Illinois, às mãos de uma turba enfurecida.

(6) Xeque-mate - No jogo de xadrez é a jogada em que o rei do adversário é atacado e não pode escapar, esta jogada põe fim à partida com a derrota do jogador que o recebe.

(7) Felipe Belo - (Rei Felipe IV – 1268 a 1314), após acusar os templários de heresia, tentar pela força extinguir a organização, condena seus dirigentes à morte nas fogueiras da inquisição e expulsa da França os judeus.

(8) Clemente V – (1264 a 1314) Eleito Papa graças a um pacto selado com o então rei da França Felipe, o Belo, juntos condenaram a morte todos os cavaleiros templários sob falsas acusações de blasfêmias e heresias.

(9) D & C 135:3 – “Joseph Smith, o Profeta e Vidente do Senhor, com exceção só de Jesus, fez mais pela salvação dos homens neste mundo, do que qualquer outro homem que jamais viveu nele. No curto espaço de vinte anos trouxe à luz o Livro de Mórmon, o qual traduziu pelo dom e poder de Deus, e fez com que fosse publicado em dois continentes; enviou a plenitude do evangelho eterno, nele contido, aos quatro cantos da terra; recebeu e publicou as revelações e mandamentos que compõem este livro de Doutrina e Convênios, e muitos outros sábios documentos e instruções para o benefício dos filhos dos homens; ajuntou muitos milhares de Santos dos Últimos Dias, fundou uma grande cidade, e deixou fama e nome que não podem ser destruídos. Viveu grande e morreu grande aos olhos do Senhor e de seu povo; e como a maior parte dos ungidos do Senhor dos tempos antigos, com o seu próprio sangue selou a sua missão suas obras; assim também o seu irmão Hyrum. Em vida não foram divididos e não foram separados na morte!”

(10) John Taylor foi o terceiro Presidente da Igreja e também era Maçom.

(11) Glen Cook é um Mórmon formado em direito que atua na área de defesa penal em Salt Lake. Cook é formado pela Universidade Brigham Young.

(12) Deseret News - http://www.deseretnews.com/article/1,5143,695265549,00.html

(13) Joseph Smith foi apresentado à augusta ordem por Mestre Abraham Jonas, sendo iniciado como um Aprendiz no dia 15 de março de 1842 e, no dia seguinte foi elevado nos Graus da Arte Real. Ele foi martirizado em uma Prisão de Cartago no dia 27 de junho de 1844.

(14) Brigham Young era membro do Quorum dos Doze Apóstolos, foi iniciado quando Joseph Smith ainda estava vivo. Young foi iniciado nos mistérios dos Pedreiros Livres na Loja de Nauvoo, em 4 de julho de 1842, foi elevado em 4 de agosto de 1842 e exaltado em 4 de setembro de 1842. De acordo com os registros da Loja, Joseph Smith estava presente aos 1º e 3º destes graus.

(15) Heber C. Kimball era um novo convertido à Igreja que se tornou um membro do Primeiro Quorum dos Doze Apóstolos sob a direção de Joseph Smith e também foi conselheiro de Brigham Young. Kimball foi iniciado em Winner, Município de Ontário, NY em 1825. Ele foi preparado para o Capítulo do Arco Real em Canadaigua, NY em 1826, não sendo concretizado devido o sentimento anti maçônico estimulado pelo caso Morgan que ocasionou o fechamento da maioria das Lojas naquela região do país. Kimball desenvolveu várias funções na Loja de Nauvoo.

(16) Parley P. Pratt foi iniciado na Loja de Nauvoo em 7 de outubro de 1843, Elevado 13 de julho de 1843 e Exaltado em 30 de julho de 1844.

(17) Hyrum Smith, irmão do profeta, serviu como patriarca da Igreja depois da morte de seu pai, que também era Maçom. Hyrum era filiado da Loja Monte Moriah em Palmyra, Município de Ontário - NY. Ajudou a fundar a primeira Loja de Nauvoo onde serviu como Venerável Mestre de 10 de novembro de 1842 a 27 de junho de 1844 tendo encerrada sua trajetória quando covardemente assassinado em Cartago ao lado de Joseph Smith.

(18) Newel K. Whitney, um próspero comerciante que se uniu a Igreja no inicio de 1830. Foi ordenado Bispo pelo Profeta Joseph Smith para presidir sobre os Santos de Ohio e os Estados Orientais. Whitney foi iniciado na Loja Orbe, em Painesville, Ohio. Ele serviu depois como Tesoureiro da Loja de Nauvoo.

10 comentários: