Translator

SOU MÓRMON, SOU MAÇOM, E AGORA?

Cesóstre Guimarães de Oliveira
Mórmon/Maçom
Loja Maçônica Humanidade e Concórdia, nº 2851
Grande Oriente do Brasil no Maranhão


Pensando na relação Mórmons Maçons, cheguei à seguinte conclusão: nós, os livres pensadores somos "TOLERADOS" no seio de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Impressiona-me ver que a relação que existiu e ainda perdura até nossos dias, entre a Maçonaria e A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é um tabu temido por alguns, odiado por outros, e por uma minoria bem pequena (aqui me incluo) é compreendida. Por vezes me entristeço ao ver que não só os membros novos, mais até mesmo membros antigos que ocupam cargos de proeminência desconhecem esta relação, e sua importância histórica no estabelecimento do evangelho restaurado, e por desconhecê-la, repudiam.
Surpreendo-me sempre ao ouvir justificativas apresentadas por membros da Igreja quanto à presença de nossos primeiros líderes no seio da fraternidade maçônica, eles tentam justificar esta relação como que se algo de errado tivesse sido praticado por tão nobres e proeminentes líderes. Reafirmo o que já foi dito: os primeiros cinco presidentes de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias foram iniciados na Maçonaria, e com eles todo o primeiro Quorum dos Doze Apóstolos, além de vários (muitos) outros membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e lá (na Maçonaria americana) permaneceram até a morte. Com o mesmo zelo que guardaram seus testemunhos, estes homens de nobres estirpes jamais negaram a maçonaria. Penso que aqueles que tentam justificar os líderes iniciados na Maçonaria, estão a acusá-los de um feito errado. “Quem se desculpa, se acusa”, esta frase esteve muito tempo em um mural na sala da presidência de minha estaca, demorei a entender o teor da mensagem, talvez a compreensão literal do texto por parte de quem o colocou lá não seja a mesma minha, mas em um ponto podemos concordar, se não estou errado, não devo me desculpar.
O preconceito, a ignorância, a epistemofobia tem mutilado a história mórmon, bem pouco são os registros que tratam desta relação, e destes, menos ainda são aqueles expostos ao publico, e em especial aos membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (a grande maioria dos escritos são de autores não mórmons), algumas vezes tenho a impressão que se fosse permitido aos nossos historiadores, eles rasgariam estas páginas de nossa história.
Tentar pesquisar sobre a relação mormonismo e maçonaria é algo extremamente penoso. O desrespeito, o descaso com nossa historia é gritante. Se pegarmos velhos manuais, ou até mesmo livros escritos por antigos líderes, e compararmos estes a suas versões atuais, de forma desconcertante verificaremos que muito do que se refere à estadia de nossos precursores (mórmons) na maçonaria, foi intencional e completamente ignorado. Quando algum escrito sobrevive ao zelo desconcertante de um ou outro historiador mórmon, atônitos podemos concluir que parte do texto foi editado, capítulos inteiros que tratavam desta temática foram reduzidos a 10 ou 15 linhas onde maçonaria aparece como algo sem relevância, ou um acontecimento local.
Esta cegueira intencional por parte de alguns líderes é algo que desconcerta e incomoda até mesmo ao mais desatento pesquisador de nossa história. Em conversa reservada com um irmão Maçom que também é Mórmon, eu me arrisquei a profetizar, (esta é uma força de expressão, não estou a dizer que sou profeta, tenho um testemunho do Presidente Monson), dizia a ele: chegará o dia em que nossos lideres terão que se pronunciar oficialmente sobre maçonaria, temo por este dia. Receio que o preconceito seja mais forte que a razão, o medo daquilo que se desconhece supere o desejo pela busca do conhecimento, receio pelo dia em que não mais teremos as 13 Regras de Fé no formato que as temos hoje, temo pelo dia em que não mais poderemos ensinar nossas crianças que “...se houver qualquer coisa virtuosa, amável, de boa fama ou louvável, nós a procuraremos”(13º Regra de Fé). Oxalá este dia nunca chegue, pois se ele chegar, teremos que encontrar respostas para explicar ao mundo por que nossos mártires morreram, teremos que explicar que a intolerância que os matou não é a mesma que nos motiva a rejeitar a mais sublime organização ¹agregadora religiosa criada para os homens. Para aqueles que parecem ter esquecido, lembro (novamente), Maçonaria não é religião, e não tem pretensões de ser ou combatê-las, afinal, sempre fomos nós os maçons as vitimas dos religiosos, e nunca os seus algozes, a história secular nos mostra isto.
Quando afirmo ser a Maçonaria religiosa estou pautado nas afirmações de grandes e ilustres mórmons maçons, ou maçons de outros seguimentos religiosos. Isento-me aqui de citá-los já que este não é o objetivo a que me propus ao iniciar esta escrita, mas esclareço que somos religiosos por que “é requerido de cada Maçom o reconhecimento de um único princípio criador, regulador, absoluto, supremo e infinito ao qual damos o nome de Grande Arquiteto do Universo, por que é uma entidade espiritualista em contraposição ao predomínio do materialismo”. (www.masonic.com.br, em 23/01/2009)
Maçonaria não pode nem deve ser comparada a uma religião já que não nos enquadramos, nem pretendemos nos enquadrar ao perfil de uma. Sabemos que uma religião é caracterizada por cultos a uma divindade, na Maçonaria mesmo reconhecendo e respeitando a existência do Grande Arquiteto do Universo, em nenhum momento de nossa ritualística aparece o culto á uma divindade cristã ou pagã, deixamos esta pratica para as religiões. Outro ponto que caracteriza uma religião, que não tem presença confirmada na ritualística maçônica é a existência de doutrina ou um sistema organizado religioso. É requerido a cada Maçom que manifeste a crença em um ser supremo, para nós independe se o deus a quem a pessoa professa sua fé é Iahweh, Alá, Krishna, etc. Nós nos relacionamos respeitando a fé de cada um, nós mórmons maçons compreendemos que esta relação pacífica é parte da doutrina de Jesus Cristo, e tem ligações diretas com o livre arbítrio, pois até mesmo a 11º Regra de Fé é inquestionável quando afirma que “Pretendemos o privilégio de adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência; e concedemos a todos os homens o mesmo privilégio, deixando-os adorar como, onde ou o que desejarem”.
Sou Mórmon, sou Maçom, bem poucos daqueles não iniciados têm a compreensão da magnitude que é pertencer a estas duas sublimes organizações, sendo Maçom estou completo como Mórmon, conhecimentos que ora para mim estiveram perdidos agora posso resgatá-los na sublime instituição que é a Maçonaria. Concluindo meu pensamento cito o Presidente Joseph Fielding Smith: ²"Muitos filiaram-se à instituição maçônica. Isto parece ter sido um degrau ou preparação para algo mais, a verdadeira origem da Maçonaria. Isto também vi e me regozijo."

APENDICE


¹Não confundir com religião. (A Maçonaria é Religiosa? http://www.masonic.com.br/trabalho/conceito.htm).

²Joseph Fielding, Diary (1843-1846), Church Archives, citado em "`They Might Have Known He Was Not a Fallen Prophet' – The Nauvoo Journal of Joseph Fielding", editado por Andrew F. Heath. BYU Studies 19 -Winter 1979.)

7 comentários:

UILSONFM disse...

QUANTA ILUSÃO!!!SABER QUE A MAÇONARIA ESTÁ UNIDA COM A IGREJA MÓRMON É UMA EVIDÊNCIA DO ANTI-CRISTO!!!O LIVRO DE MÓRMON É FALSO!JOSEPH SMITH É UM FALSO PROFETA!!A CIÊNCIA DESMASCARA A MENTIRA DE QUE OS ÍNDIOS AMERICANOS SÃO DESCENDENTES DOS HEBREUS!!!O DNA É INCOMPATÍVEL!!O LIVRO DE MÓRMON É UMA FARSA!!O APÓSTOLO PAULO ESCREVENDO EM GÁLATAS 1:8 DISSE:"AINDA QUE UM ANJO DO CÉU VOS ANUNCIE OUTRO EVANGELHO,SEJA ANÁTEMA".OS MÓRMONS E OS MAÇONS NUNCA SERÃO DEUSES!!!HÁ UM SÓ DEUS COMO DIZ A BÍBLIA,CONVERTEI-VOS AO VERDADEIRO EVANGELHO DO CRISTO DA BÍBLIA,COMO DISSE PEDRO...SOU UM MATEMÁTICO CRISTÃO,EX-MÓRMON,SOU PESQUISADOR DA CIÊNCIA,ESTUDEI NA PUC-RJ,UFRJ E UFF E NUNCA FUI MAÇON...GRAÇAS A DEUS!!

Anônimo disse...

QUANTA ILUSÃO!!!SABER QUE A MAÇONARIA ESTÁ UNIDA COM A IGREJA MÓRMON É UMA EVIDÊNCIA DO ANTI-CRISTO!!!O LIVRO DE MÓRMON É FALSO!JOSEPH SMITH É UM FALSO PROFETA!!A CIÊNCIA DESMASCARA A MENTIRA DE QUE OS ÍNDIOS AMERICANOS SÃO DESCENDENTES DOS HEBREUS!!!O DNA É INCOMPATÍVEL!!O LIVRO DE MÓRMON É UMA FARSA!!O APÓSTOLO PAULO ESCREVENDO EM GÁLATAS 1:8 DISSE:"AINDA QUE UM ANJO DO CÉU VOS ANUNCIE OUTRO EVANGELHO,SEJA ANÁTEMA".OS MÓRMONS E OS MAÇONS NUNCA SERÃO DEUSES!!!HÁ UM SÓ DEUS COMO DIZ A BÍBLIA,CONVERTEI-VOS AO VERDADEIRO EVANGELHO DO CRISTO DA BÍBLIA,COMO DISSE PEDRO...SOU UM MATEMÁTICO CRISTÃO,EX-MÓRMON,SOU PESQUISADOR DA CIÊNCIA,ESTUDEI NA PUC-RJ,UFRJ E UFF E NUNCA FUI MAÇON...GRAÇAS A DEUS!!

Cesóstre Guimarães de Oliveira disse...

Olá caro pesquisador da ciência, que estudou na PUC-RJ,UFRJ e UFF, permita que este humilde contabilista, formado pelo Uniceuma, uma faculdade privada do Maranhão, [um dos estados mais pobre do Brasil], faça algumas pequenas observações em seu comentário.
É regra para textos escritos na internet não escrever frases completas em letras maiúsculas, a menos que intencionalmente esteja a gritar, o que por si só, já caracteriza falta de educação.
Nós maçons não buscamos ser Deus, na verdade a Maçonaria não tem nada que justifique esta possibilidade, penso que em tuas pesquisas confundiste a Maçonaria com alguma outra coisa que desconhecemos. Penso que deve voltar as tuas fontes, e se fizer isto notará que a Maçonaria não discute os deuses, temos deixado esta discussão vazia, para as religiões também vazias.
Quanto ao mormonismo, este sim, ensina, por ser verdade, a possibilidade do homem, conforme sua fidelidade a Deus tornar-se um ser perfeito.
Quanto ás falhas que diz haver encontrado nas afirmações mórmons, conheço a todas que citou, assim como também, conheço algumas afirmações feitas por outros estudiosos não cristãos que provam [em seus contextos], ser o cristianismo uma fraude, mas, nós dois sabemos que não é.
Gostaria de me estender um pouco mais na análise daquilo que tentou dizer, mais creio que fazer isto foge ao objetivo deste blog, então, por isso, mantenha-se na sua insignificância de existência humana irracional, e, se realmente deseja ser fiel a Deus, seguindo o exemplo do mormonismo, o aconselho a por em prática as instruções de Gamaliel quando disse: “...acautelai-vos a respeito do que haveis de fazer a estes homens”.
“... deixai-os, porque, se [...] esta obra é de homens, se desfará, mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la, para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus”. [Atos dos Apóstolos 5:34-39]

Abraços.

LMichelsen disse...

Não sou mórmon, não sou maçom, contudo, também me considero feliz.
Venho, assim como a maioria dos brasileiros, de um berço católico não praticante, pela forma da tradição dos tempos do império. Minha família sempre foi... bem racional, analisando e criticando (no sentido puro da palavra) os demais de nossa sociedade. Encontramos na doutrina espírita, codificada por Allan Kardec (portanto, somos "kardecistas") a filosofia para melhor nos entendermos e aceitarmos esta bela e admirável variedade de origens, cultos, pensamentos, manifestações e raças que é o povo brasileiro (que Deus os abençoe). Fico muito satisfeito quando alguém, com peito aberto, manifeste orgulho (mais uma vez, no sentido puro da palavra) por algo que não seja contrária às leis do amor a Deus e ao próximo. Somos seres imperfeitos, sim! Eu sou um exemplo de imperfeição, mas, um ser imperfeito que busca a evolução.
Mesmo em minha humilde existência, poderia até me atrever a afirmar que, em todas as religiões e doutrinas, a meta da evolução, da reforma íntima, da busca daquilo que chamamos “perfeição relativa” (claro, pois ninguém há de ser perfeito, comparado a Deus, mas o que devemos alcançar em candura, amor e respeito, estão tão longe para nós que podemos sim, confundir com um alto grau de perfeição).
Até o próprio Chico Xavier, que todos os brasileiros conhecem, se comparava a um verme. Conheço até um relato (não sei se verdadeiro) onde o mentor espiritual de Chico Xavier o havia repreendido por se atrever a se comparar a um verme, dizendo que um verme tem a sua utilidade no ciclo da vida, e que o Chico não deveria se comparar a um verme, pois estaria apenas se lamentando. Parece um pouco rude por parte do Emmanuel, mas entendo que não devemos julgar nenhuma criatura de Deus. (Atire a primeira pedra aquele que nunca errou).
A perfeição que buscamos, no meu entendimento, significa servir a Deus, das mais diversas formas (uma das pessoas que eu admiro como exemplo de serva de Deus é a Sra. Zilda Arns, da Pastoral da Criança). Podemos, também, encontrar outros exemplos, em outras religiões, até mesmo entre os fundamentalistas mais radicais, de pessoas que se doam em benefício de estranhos (apesar de sermos todos irmãos, filhos do Criador). Minha filosofia de vida sempre foi e será: não incomode os outros e procure fazer com que aqueles que te procurarem saiam de perto de ti melhores.
Muito me incomoda a perseguição que vocês: Mórmons e Maçons, sofrem dos demais. Mas, paciência, todos os povos sofrem no início. Minha convicção é que Deus nos ensina a humildade e a paciência para lidar com novos povos, que surgem a cada dia na história da Terra.
Estou a ter devaneios, mas, para conclusão, tenho muitos amigos Mórmons, pelos quais aprendi a conhecer e a admirar a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (principalmente por aceitarem confraternizar com um humilde cristão kardecista que sou).
Não conheço a Maçonaria e fujo das suposições quanto a sua história e natureza, portanto, não sou digno de comentar algo sobre (na minha sede por conhecimento, com certeza, me nutrirá com informações suficientes para falar sobre, mas nunca julgar).
Continue com suas convicções e não deixe ninguém o forçar a mudar. Se o fizer, faça-o por iniciativa própria. A única coisa que eu condeno (pois sou imperfeito) é alguém que renegou sua fé para ser aceito por outros.

Abraços,

Leandro Michelsen

Cesóstre Guimarães de Oliveira disse...

Meu caro Lenadro, qualquer coisa que eu diga além de "OBRIGADO" por suas palavras de apoio não passará de redundancia.

Abraços

Anônimo disse...

Algo está muito errado na maçonaria, ao meu ver é uma mistura de "engenharia política com engenharia religiosa" não se posiciona claramente em relação ao verdadeiro criador, considero ela a responsável pelas mudanças nas traduções bíblicas, onde o tetragrama que é o nome do supremo "eu sou o que sou" pra uma corruptela de ZEUS, pela criação do formato de "santificação de mártires" na igreja primitiva, e por colocar o nome do messias com J, fazendo assim a adoração dos povos soar como abominação aos ouvidos do criador, andando paralelamente junto aos costumes judaico-cristãos, não com objetivo de conduzir o povo ao verdadeiro criador mas fazendo sutis modificações e assim levar o povo ao "deus das moscas", Alan kardec era maçom, existem pastores e bispos, tá na cara que o objetivo é sutilente confundir o homem na ruína, e com uma forçosa bondade pregada nas lojas roubar as bençãos do povo porque está impuro. A versão de que iludem o povo com coisas do tipo "agnosticismo" e "hermetismo", deixa claro que podem ser o próprio lobo em pele de cordeiro, apropriaram se de cânticos e invocações em hebreu, e utilizam pra se manterem no poder. Infelizmente falo isso porque conheço políticos corruptos deste país que são maçons, e graças ao mistério a vossa seita continua tentando construir a torre de babel. A verdade está vindo à tona. Deus está revelando seu nome e como se clama seu nome, quando começarmos a clamar, ai ai ai dos falsos profetas. Arderão aqui e no porvir.

Joao Pequeno disse...

Queridos amigos,sou mórmon,sei disso,vivo isso e adoro isso.Por favor parem de dizerem que nós temos algum tipo de ligação com a maçonaria,por que isso é MENTIRA!