Translator

JOSEPH SMITH, O PROFETA DE DEUS

Joseph Smith nasceu no dia 23 de dezembro de 1805. Filho de Joseph Smith Sênior, e Lucy Mack Smith. O casal Smith sempre se preocupou com formação do caráter de seus filhos, eles formavam uma família que com muito sacrifício e dedicação, compartilhavam dos melhores sentimentos em relação uns aos outros, eles se amavam e sempre davam claras demonstrações publicas disto. Esta relação familiar foi fundamental na formação da personalidade de Joseph Smith Junior, que dentro de pouco tempo teria a responsabilidade de trazer A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias à luz
Em sua trajetória de líder religioso, Joseph Smith foi difamado e caluniado pelos inimigos do verdadeiro cristianismo. Alguns destes o acusaram (e ainda acusam) de paganismo, (não consigo imaginar na mente de quem esta idéia foi concebida, mais com certeza a única intenção é lançar dúvidas na mente de incautos desinformados). Pergunto-me, como pode ser verdade tal afirmativa já que sua dedicação há Deus e ao próximo testificam contra isto? Estudando sua biografia, pesquisando em livros, sou convicto que ninguém naquele contexto histórico poderia ter sido mais honrado, decente e altruísta que Joseph. Concordo que possam ter existidos homens e mulheres que estavam nivelados ao seu padrão de conduta moral, mas, era ele, naquele momento quem detinha todas as características de um verdadeiro Profeta de Deus.
Profanamente chamam-no de fanático religioso, visionário, louco, adúltero, mentiroso. Para quem estudou a vida de Joseph é impossível conceber que os que assim
o tratam agem como verdadeiros cristãos. Alguns podem até serem bons homens e boas mulheres, mas mesmo sendo, tiveram sua linha de raciocínio e compreensão manipulada por líderes dos diversos seguimentos religiosos que ao tratarem sua religião como um negócio lucrativo, vê nos mórmons, seus concorrentes. Quanto àqueles que os seguem, apenas clientes de suas doutrinas. Não são cristãos verdadeiros, já que ser um, está além de suas habilidades perceptivas para discernir a verdade. Tais pessoas não percebem que alguém como Joseph, é alguém disposto a dar tudo de si, até mesmo à própria vida em prol do Evangelho Restaurado de Jesus Cristo, e foi exatamente isto que ele fez.
Joseph e Hyrum foram chacinados enquanto estavam sob a guarda do estado, penso que por estar à frente da Igreja, a morte de Joseph teve maior repercussão na história, mas, na verdade bem antes destes acontecimentos, em 19 de Novembro de 1823 já havia acontecido o primeiro óbito na família, aos 25 anos de idade falecera Alvin Smith (¹) de apendicite aguda, embora sua morte não tenha tido nenhuma relação direta com a perseguição religiosa das quais sua família vinha sendo vitima, Alvin compartilhava das mesmas certezas que os outros membros da família. Veremos a seguir, que Joseph e seu irmão Hyrum não foram os únicos da família Smith a morrer em conseqüência da irracional intolerância religiosa. A primeira das vítimas foi Joseph Smith Sênior que aos 67 anos faleceu em decorrência a ferimentos recebidos, em uma das várias vezes em que esteve injustamente aprisionado.
A história é fiel ao registrar que alguns homens prepararam tudo para que Joseph Smith Sênior fugisse da cadeia onde se encontrava, o objetivo era caçá-lo como um criminoso. Em função de ferimentos recebidos durante esta fuga, e por ter sido submetido a privações terríveis que lhes deixaram seqüelas físicas profundas, veio a falecer não muito tempo depois.
Ainda tentando superar o sofrimento e a dor causada pela morte do Patriarca, a família Smith teve mais uma vez que enterrar dois dos seus, apenas dois anos se passara desde a morte do Sr. Smith quando Hyrum e Joseph Smith Jr. foram brutalmente assassinados em Catharge, Illinois (EUA). Os dois irmãos deveriam estar sob proteção do Governador Thomas Ford (²), já que este lhes havia dado garantias de segurança.
Algumas semanas após o martírio de Joseph e Hyrum, Samuel Smith (outro irmão de Joseph) também foi morto. Assim nós temos cinco membros da família Smith mortos em curto espaço de tempo. Este foi o preço terrível que eles tiveram que pagar por suas convicções. Não me conformo em ouvir, ou ler o que escrevem aqueles que questionam nossa fé. Como podem ser verdades as injurias que falam contra Joseph Smith, se suas ações e a de seus familiares atestam ao contrário?
Joseph Smith Jr. tinha apenas 14 anos quando viu a Deus, o Pai, e o Filho, Jesus Cristo. Em seu diário ele conta que havia se retirado para um bosque próximo a sua casa com o objetivo de indagar a Deus sobre qual igreja deveria se unir. Foi quando ele teve a primeira visão. Dois personagens (Deus e Jesus Cristo) que lhes apareceram disseram-lhe que não deveria se unir a nenhuma das igrejas existentes; as crenças ensinadas por estes líderes religiosos eram todas abominações ao Pai e ao Filho; os líderes religiosos eram todos corruptos.
Do momento em que Joseph relatou ao mundo que tinha tido uma visão, forças contrárias declararam guerra a ele e seus familiares.
Não muito longe do tempo em que ocorreu esta primeira visão um ser ressurreto veio até Joseph para lhe mostrar registros de antigos habitantes das Américas (de quem os índios americanos são descendentes diretos). A guerra estava declarada, as entranhas do mal se abriram para liberar suas hostes contra a família Smith e todos que abraçassem o Evangelho Restaurado de Jesus Cristo. Líderes eclesiásticos vieram de toda parte do país (EUA) para perseguir e levar a cabo a destruição da família de Joseph Smith Jr. Penso que esta reação destes líderes religiosos deixa qualquer um surpreso, afinal, Joseph era apenas um menino visionário, (eles diziam isto). Por que então, eles não lhes mostraram a verdade? Entendo que este seria o modo correto a ser seguido por um “verdadeiro” cristão.
Contrário a isto, Joseph foi tratado com ódio e desprezo. A sua vida nunca mais foi a mesma. Constantemente os Smiths eram vitimas de ameaças, injúrias e calunias. Estas agressões se tornaram uma constante em suas vidas. Por várias vezes, na calada da noite, Joseph foi retirado dos braços de sua esposa e filhos e levado para ser coberto por piche quente, que deixou queimaduras e marcas profundas em seu corpo. Em uma destas vezes tentaram fazer com que bebesse um frasco de ácido, nesta tentativa chegaram a cortar seus lábios e quebraram um dente. A história perdeu a conta de quantas vezes Joseph foi levado ao tribunal sob falsas acusações, mais sempre sua inocência foi provada.
Seus algozes eram incansáveis, entre eles existiam alguns politicamente fortes, um destes, era o Governador Lilburn Williams Boggs (³) (do estado do Missouri), e foi ele quem emitiu a perversa e inconstitucional ordem de extermínio contra todos os mórmons. Joseph Smith passou a maior parte de sua curta vida em prisões pútridas, e tendo que provar ser um cidadão de bem, embora fosse inocente de qualquer acusação. Tudo isto Joseph Smith sofreu, mais mansamente suportou, foi bravo, foi Profeta de Deus (...). Depois de tudo isto, alguém ainda ousa tentar manchar sua honra, sua glória, sua obediência, sua fidelidade a Deus.
Ao observarmos tanto sofrimento, é natural pensarmos que seria normal a qualquer pessoa desistir de seu projeto logo nas primeiras investidas, seria mais simples e menos dolorido, mais este plano não era de Joseph, ele era apenas um Profeta tentando cumprir uma ordem de seu Deus. Ele tinha um trabalho a fazer, e ele o faria. Ele o fez.
Em meio a tanto sofrimento e as constantes ameaças sofridas, Joseph Smith permaneceu inabalável. Em nenhum momento a possibilidade de desistir do trabalho de Deus passou por sua cabeça.
Aos 21 anos de idade Joseph Smith Junior, um homem da área rural, que tinha somente três anos de educação formal, traduziu O LIVRO DE MÓRMON, um livro que contém 620 páginas, mais de 350.000 palavras e cobre numa cronologia perfeita 2.600 anos de história. Este é um livro sagrado que concorda meticulosamente com a Bíblia.
Muitos duvidam destes feitos de Joseph Smith. A estes digo que se aceitarmos a idéia absurda de que Joseph não traduziu as placas de ouro. Se aceitarmos a idéia, somente pela razão, de que tudo é obra de sua imaginação, ainda assim, teremos que dizer: “que mente brilhante, que homem impar, quem mais poderia em tão pouco tempo e sem o conhecimento secular necessário, escrever algo tão complexo onde a concordância de datas é cronologicamente perfeita”. A explicação é uma só. Joseph era um Profeta de Deus.
O LIVRO DE MÓRMON tem sido submetido a vários testes ao longo dos tempos, alguns historiadores e outros pesquisadores têm durante os últimos 178 anos tentado desacreditar o LIVRO DE MÓRMON, mas suas tentativas tem sido em vão.
Joseph Smith Junior era um homem incomum, de valiosíssimas virtudes, assim como seus familiares e os primeiros líderes da Igreja. Ele viveu perseguido pelo ódio daqueles que não compreendiam ou ainda não compreendem a dimensão da obra que foi chamado a fazer, teve que suportar várias vezes a prisão injusta, banhos de piche, espancamentos, calúnias, e para finalizar sua participação na condução da restauração do Evangelho de Jesus Cristo, deu sua própria vida selando seu testemunho.
Com a morte de Joseph e Hyrum Smith, os Mórmons prepararam-se migrar para o território de Utah. (Sobre isto você encontrará mais detalhes em meu livro intitulado “Os Construtores de Templos”.
(http://www.4shared.com/get/65140167/328d8922/Os_Construtores_de_Templos_­_Os_Mormons_e_a_Maonaria.html).
Compartilho com todos, à certeza que tenho de que Joseph Smith foi um profeta chamado por Deus, para conduzir a restauração do Evangelho de Jesus Cristo nestes últimos dias. Não tenho dúvidas sobre isto, sei que é verdade.

APENDICE

¹ Alvin Smith sempre acreditou em Joseph, gostava de ouvir quando seu irmão falava da visão que tivera. Sua mãe Lucy Smith registrou: "Alvin tinha profundo zelo e ansiedade, no tocante aos registros que tinham sido mostrados a Joseph, ao ouvir as palavras de Joseph, Alvin ignorava o resto do mundo”.


² Thomas Ford é lembrado como o governador da "Guerra Mórmon", seu nome sempre é relacionado aos conflitos envolvendo os mórmons de Nauvoo e principalmente com o assassinato de Joseph em 1844. Ford é autor de longos textos detalhando sua relação com a comunidade mórmon, e foi um profundo crítico da religião. Em um de seus textos ele descreve Joseph como "o melhor ator dos tempos modernos", e disse que acreditava que no fim do Mormonismo, e que no futuro, talvez ele (Ford) viesse a ser conhecido como um moderno Pôncio Pilatos.
³ O Governador do Missouri Lilburn Williams Boggs é o autor do decreto (muito) conhecido pelos membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias como a “Ordem de extermínio”. Este decreto foi emitido em 27 de outubro de 1838 e tinha o objetivo de expulsar os Mórmons para fora do estado. Parte do decreto dizia que: “... os mórmons devem ser tratados como inimigos, e devem ser exterminados ou expulsos do Estado..." Três dias após a Ordem de Extermínio de Boggs entrar em vigor 17 Mórmons foram assassinados. Este decreto vigorou por 138 anos e foi cancelado pelo Governador do Missouri Christopher Bond que declarou que o decreto violava os direitos legais estabelecidos pela Constituição dos EUA

REFERENCIAS

Ford, Thomas, A História de Illinois (1995 edição com a introdução por Rodney O. Davis.
Schindler, Harold. Orrin Porter Rockwell: Filho do Trovão, o homem de Deus. Salt Lake City: University of Utah Press, 1966.
Richard Lloyd Anderson, "A História de Alvin Smith: Fato e Ficção," Ensign, agosto 1987, pag. 58
História da Igreja na Plenitude dos Tempos – A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dosÚltimos Dias. Princípios do Evangelho -A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

0 comentários: